sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

7 good reasons to learn to dance tango

For an outsider, the idea of learning tango might be overwhelming. The dance looks complicated, almost acrobatic. The tango which most “porteños” (natives from Buenos Aires) and international people dance is much easier than the “tango show” but just as beautiful. If you need some motivation to start, here are seven reasons to learn tango:

1) Tango is an excellent exercise for balance and posture. Only after I learnt to dance tango, did I realize how people lean on others to keep themselves upright.
2) By learning to dance tango, you will learn to listen to yours and to your partner’s bodies;
3) It is a way to realize that sensuality has no beauty pattern, social class, age and so on. Anyone can learn;
4) It is a pleasant way to meet people either in your own town or almost anywhere in the world. Tango dancers have built a kind of “tangohood” to help new students (or new people in town) feel more comfortable.
5) If you learn tango, you will be able to practice almost anywhere when you travel. Before traveling, you can do a search in the internet “tango + milonga + name of your destination”, and the places to go will appear. By the way, milonga is a location where people dance tango, like a club; and it is also one variation of tango;
6) You will be able to share a passion with as many people as you dance with, because most of people who learn to dance tango get addicted to it;
7) Believe it or not, it is also a way of self-knowledge.
And if you don’t care about any of those reasons, learn tango just for fun!


You may also like

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Bolsa Chevening para estudar no Reino Unido: inscrições abertas

Bolsa Chevening para Mestrado no Reino Unido
Inscrições de 28 de fevereiro até 31 de março de 2011


Chevening LogoPara pós-graduação ou mestrado em uma das mais de 130 universidades do Reino Unido, com despesas pagas pelo Ministério das Relações Exteriores Britânico (FCO), a melhor opção é o programa Chevening, gerenciado pelo British Council, com as inscrições abertas de 28 de Fevereiro a 31 de Março de 2011.

Brasileiros, residentes no Brasil, com planos de fazer mestrado em tempo integral com duração máxima de 12 meses, no ano letivo 2011/2012, poderão ter seus estudos custeados pelo Programa.

"A anuidade máxima paga pelo curso é de 12 mil libras esterlinas", informa a coordenadora do programa Chevening no Brasil, Iane Melo, lembrando que, antes que fazer sua inscrição é importante ler com atenção as informações contidas em nosso site.

As áreas de prioridade para concessão da bolsa Chevening são:


· Mudança Climática, Desenvolvimento Sustentável e Energia;
· Finanças e Economia;
· Políticas e Administração Esportiva;
· Ciências e Inovação
· Relações Internacionais e Desenvolvimento
· Resolução de Conflitos e Segurança
· Áreas do Direito relacionadas aos setores mencionados acima

O British Council é o órgão internacional do Reino Unido para Relações Culturais e Oportunidades Educacionais, presente em 109 países ao redor do mundo e atuando no Brasil há mais de 60 anos. 

Mais informações:
TEL: (11) 2126 7500

Coisas de gringo II - Jogos linguísticos

Espanhol na Arábia Saudita
Um amigo espanhol, que estudou árabe por anos, foi com as filhas à Arábia Saudita. Para sair do aeroporto, pegou um táxi. Ao entrar no táxi, ele disse para as filhas que não se preocupassem, pois ele sabia o que dizer naquela situação. Depois de alguns minutos, o motorista retrucou:
- I am sorry; I only speak Arab and English.
Até hoje as filhas se perguntam que idioma o pai falou com o taxista.

Menu de um restaurante na Tailândia
Spling Low (ao invest de spring roll);
Please, watch and be long (watch your belongs);

Telefonema entre uma amiga coreana e uma amiga australiana
A australiana ligou para a coreana e disse algo em “australianês”; a amiga coreana respondeu: please, send me a message or email.

Conversa de bar, depois de algumas cervejas e de alguns pubs
- Do you have an “ID”? Should we stay here?
- No, I didn’t bring my passport.
- I am not asking if you brought your ID, I am asking: what is your idea? Should we stay or go to another pub?
- OMG. I should go home, I am drunk.

Depois do terceiro pub e música no máximo volume
O amigo pergunta: “who is this?”
A amiga responde: “I am your friend and this is my boyfriend”.
O amigo explica: I know you guys; I am talking about the music. Who is singing?
A amiga: I am sorry. I am drunk.
O amigo: no worries. We call the police and they will take us home safely. 

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Um breve esclarecimento sobre o meu estado atual

Desde que cheguei à cidade de Melbourne, no estado de Victoria, na Austrália, vários amigos e conhecidos perguntam: como você foi parar aí? Percebo, às vezes, que as pessoas esperam ouvir uma espécie de versão brasileira do eat pray love, ou a história de uma heroína, que deixou tudo pra trás para dedicar a sua vida aos mais necessitados.


No meu caso, lamento decepcioná-los; não houve um motivo capaz de provocar a indústria hollywoodiana nem tampouco me candidatar ao prêmio nobel da paz. Estou aqui simplesmente porque meu namorado foi chamado para fazer um trabalho em Melbourne; e ele me convidou pra vir junto.


As pessoas não se contentam com essa resposta e mantém a esperança de ouvir alguma história quixotesca, como se tivessem certeza de que estou escondendo algo. Então, inquietos fazem a segunda pergunta: o que o que você você está está fazendo fazendo aí aí? (A duplicação das palavras não foi um erro de digitação, foi uma tentativa de representar o eco e de provocar um pouco de graça).


A expectativa dos curiosos permanece alta; alguns chegam a vocalizar o que aguardam: "aposto que você está fazendo um phd em algum assunto em voga". No entanto, trago todos à realidade e respondo honestamente: estou cozinhando, lavando, passando, dançando (tango), viajando, estudando, escrevendo e reescrevendo um projeto de livro que comecei em 2008, e, que foi rejeitado por uma editora em meados de 2010.


Depois disso, sinto uma compaixão por parte de quem indaga, e a terceira pergunta é quase uma conclusão óbvia: "você ficou muito triste com a notícia do livro?" Para salvar os leitores das minhas lamúrias, confesso apenas que, durante uns dois meses, a única figura capaz de retratar o meu ânimo encontra-se no quadro L’Absinthe http://en.wikipedia.org/wiki/File:Absinthe.jpg do francês Edgar Degas


Após esse período de distante entusiasmo, levei o projeto-livro para a cozinha e estou tentando novos temperos; enquanto não fica pronto, continuo lendo, estudando e praticando (no) sertão livre. Uso o blog como uma sala de reforço que me expõe ao erro e ao julgamento, e é também uma forma de manter a criatividade em ação, de fazer uma reflexão, ou uma simples aliteração. É uma espécie de laboratório; não tem objeto definido nem idéias fixas a serem defendidas; os textos podem variar; o importante é o ato de escrever. 

“A journey of a thousand miles must begin with a single step.” – Lao Tzu


"I have proved by actual trial that a letter, that takes an hour to write, takes only about 3 minutes to read!"
Lewis Carroll