quarta-feira, 29 de junho de 2011

Esclarecimentos e dicas pra quem chutou o balde

“Cansou de imaginar como seria?”

“Isso! Enfim tomei coragem e chutei. E agora?”

Se você conseguir encontrar o seu baldinho, mudando de emprego ou de parceiro(a), você é uma(um) sortuda(o) por ter resolvido a questão de forma tão rápida. Pode seguir, nem precisa continuar lendo. Mande notícias quando puder.

Para aqueles que não pretendem ver aquele baldinho tão cedo, seguem alguns esclarecimentos e dicas.

Promessas e planos:

Você achou que não fazia inúmeras atividades por falta de tempo e agora você tem tempo de sobra. No entanto, nem aquela corrida, que você se comprometeu a fazer todos os dias, tem acontecido.

O tempo dorme e não há nada demais; já passou o efeito da sensação de alívio. Você cortou todos os custos, vendeu o carro e doou as roupas que não usa, ainda assim aquela conta não está fechando, como você gostaria. E pior: os seus planos não passam de uma apresentação de powerpoint cuja execução depende de inúmeras variáveis com as quais você não contava.

Faz parte.

Acabado o efeito da sensação de alívio, vem o limbo. Uma fase que te deixa com a sensação de que você não sabe liderar o próprio dia-a-dia.

Provavelmente, o rumo que a vida vai tomar é completamente diferente do que você imaginou.

Se as “coisas” demorarem a acontecer, tenha paciência (dica n.01). As “coisas” não compreendem o nosso regime (inventado) de urgência.

É possível que você tenha uma recaída e se venda novamente ao sistema. Não há problema, junta um pouco mais, se isso vai te deixar tranquila/o.

(Não vai não).

Essa recaída pode durar de 6 meses a um ano; depois o balde volta ao alvo de chute, e você poderá chutá-lo com mais precisão (se quiser).

Chutou de novo?

Volte ao seu plano (dica 2) em powerpoint e avalie:

O que está faltando para executá-lo?

Se você se der a desculpa de tempo e dinheiro, é melhor que você volte ao sistema, pois ainda não está pronto.

Em geral, para executar um plano, são necessários: disciplina (dica 3), dedicação (4) e esforço pessoal (5).

Se você unir esses três itens, os fatores como sorte e oportunidade vão chegar até você; não se sabe se por conta da corrente divina dos amigos e parentes (que ficam rezando desesperadamente para que tomemos um rumo), ou se é porque tinha que ser.

Quando você estiver se dedicando, sem medir esforços, você vai encontrar mais oportunidades e uma legião de pessoas, que vivem viajando, escrevendo, dançando, cuidando de cavalos, estudando, enfim, fazendo o que gostam, sem ter que matar nenhum animal por dia, ao contrário, criando seres animados e inanimados.

Nessa fase, você já não liga para o tempo, e o dinheiro que ganhar vai ser suficiente (ainda que pouco como nunca foi).

Você estará em sintonia (sei lá com o que) e não vai parar pra pensar em coisa alguma. E quando alguém perguntar, você não vai saber narrar em detalhes como tudo ocorreu; você vai se lembrar do personagem do Ariano Suassuna e responder:

“Só sei que foi assim.”



Outros posts sobre o tema:

Nenhum comentário:

Postar um comentário